Joker

A punch in the stomach!

This is the way I felt after watching this movie!

Joaquin Phoenix it’s at its prime… This is the Joker from the stories, the one who seeks and destroy, who begets the craziest plans and the one brings on the terrible laughter!

It is so dense, so dark, so in your face, that you have to watch it in order to truly understand the feeling!

“I used to think that my life was a tragedy. But now I realize, it’s a comedy.! – Arthur Fleck (Joker)

Histórias para rir e educar

Quatro histórias interessantes com notável valor pedagógico…

É preciso transformar a luta pela sobrevivência na helénica arte de tecer esperanças. (Frei Betto)

No Curso de Medicina, o professor dirige-se ao aluno e pergunta:
– Quantos rins temos nós?
– Quatro! – responde o aluno.
– Quatro? – replica o professor, um arrogante, daqueles que sentem prazer em gozar com os erros dos alunos.
– Tragam um fardo de palha, pois temos um burro na sala. – Ordena o professor ao seu auxiliar.
– E para mim um cafezinho! – pediu o aluno.
O professor ficou furioso e expulsou-o da sala. O aluno era Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), o ‘Barão de Itararé’. Ao sair, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o irritado mestre:
– O senhor me perguntou quantos rins ‘NÓS TEMOS’. ‘NÓS’ temos quatro: dois meus e dois seus. ‘NÓS’ é uma expressão usada para o plural.Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim.
Moral da História:
A VIDA EXIGE MUITO MAIS COMPREENSÃO DO QUE CONHECIMENTO.


BOA RESPOSTA
Um mecânico está a desmontar a cabeça do motor de uma moto, quando vê na oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele está a observar o mecânico a trabalhar. Então o mecânico pára e pergunta:
– Bom dia, doutor, posso fazer uma pergunta?
O cirurgião, um tanto surpreendido, concorda e aproxima-se da moto na qual o mecânico está a trabalhar. O mecânico levanta-se e pergunta:
– ?Doutor, repare neste motor. Eu abro-lhe o coração, tiro as válvulas, conserto-as, ponho-as no sítio e fecho novamente, e, quando acabo, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Explique-me por que é que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando o nosso trabalho é praticamente o mesmo!!
Então o cirurgião sorri, inclina-se e diz baixinho ao mecânico:
– ‘Você já tentou fazer como eu faço, com  o motor a trabalhar?’
Conclusão:
QUANDO A GENTE PENSA QUE SABE TODAS AS RESPOSTAS, VEM A VIDA E MUDA TODAS AS PERGUNTAS.


MUITA CALMA!
Entra um senhor desesperado na farmácia e grita:
– Rápido, dê-me algo para a diarreia! Urgente!
O dono da farmácia, que era novo no negócio, fica muito nervoso e dá-lhe um remédio errado: um remédio para nervos. O senhor, com muita pressa, pega no remédio e vai embora.
Horas depois, chega novamente o senhor que estava com diarreia e o farmacêutico diz-lhe:
– As minhas desculpas, senhor. Creio que por engano lhe dei um medicamento para os nervos, em vez de um para a diarreia. Como é que se sente?
O senhor responde:
– Cagado… mas tou tranquilo.
Moral da História:
“POR MAIS DESESPERADA QUE SEJA A SITUAÇÃO, SE ESTIVER CALMO, AS COISAS SERÃO VISTAS DE OUTRA MANEIRA”.


PROBLEMA É SÉRIO
O sujeito vai ao psiquiatra
– Doutor – diz ele – estou com um problema: – De cada vez que estou na cama, acho que está alguém debaixo dela. Vou para baixo da cama ver e parece-me que há alguém em cima dela. P’ra baixo, p’ra cima, p’ra baixo, p’ra cima. Estou a ficar maluco!
– Muito bem. Eu trato de si durante dois anos, diz o psiquiatra. Venha cá três vezes por semana, e eu resolvo-lhe o problema.
– E quanto me vai custar isso? – pergunta o paciente.
– 75 € por sessão – responde o psiquiatra.
– Bem, eu vou pensar – conclui o sujeito.
Passados seis meses, encontram-se na rua.
– Então, como tem passado, por que é que nunca mais apareceu? – Pergunta o psiquiatra.
– A 75€ a consulta, três vezes por semana, durante dois anos, ia-me ficar caro demais. Um indivíduo que conheci no café curou-me por 10€.
– Ah sim? E como? – Pergunta o psiquiatra.
O sujeito responde:
– Por 10€ ele cortou os pés da cama…
Moral da História:
MUITAS VEZES O PROBLEMA É SÉRIO, MAS A SOLUÇÃO PODE SER MUITO SIMPLES!

HÁ UMA GRANDE DIFERENÇA ENTRE FOCO NO PROBLEMA E FOCO NA SOLUÇÃO.